COMO MANTER UM RELACIONAMENTO QUENTE EM 4 PASSOS

Não exatamente você precisa marcar hora na agenda para transar (se quiser, pode!),

Sexo bom é sexo premeditado

Quem garante é a psicoterapeuta belga Esther Perel. Não exatamente você precisa marcar hora na agenda para transar (se quiser, pode!), mas precisa pensar no ato para que ele aconteça. Querer transar novamente é o que ajuda a manter o tesão em alta.

Descubra o que a excita e o que a desanima

Não caia na besteira de acreditar que o desejo sexual vem de fora. Ele depende de descobertas internas. Descubra os gatilhos que ligam e desligam o tesão em você e compartilhe com o seu par.

Namore mais

Lembra quando vocês começaram a sair e era beijo de língua pra lá, mãos safadas em lugares públicos pra cá, cochichos pornográficos no cinema, chupadas no sorvete com olhar malicioso, ausência de calcinha sob a saia…Por que mesmo vocês pararam de fazer isso?

Estimule a expectativa

Nada como um pouco de mistério para aguçar a imaginação e o desejo. Invista em brincadeiras que levantam a libido de ambos. Por exemplo, vão sair à noite? Mande mensagem pra ele contando o que pretende vestir ou uma foto mostrando um pedacinho do look. 

Fonte: m.mdemulher.

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , | Deixe um comentário

QUEBRANDO OS TABUS DA MASTURBAÇÃO FEMININA

Não é vergonhoso se tocar e depois instruir o outro a tocar você da maneira certa. Isso é natural e fundamental na sexualidade humana.

Conhecer o próprio corpo ajuda a ter prazer e fortalece autoestima

Durante a relação sexual, algumas mulheres possuem dificuldades de chegar ao orgasmo, e quase sempre isso é fruto de uma falta de autoconfiança, que funciona como uma espécie de trava automática no sexo. Uma ótima maneira de “desbloquear” essa situação é por meio da masturbação feminina. Mas para isso é preciso quebrar alguns tabus em torno do assunto, encarando a prática com naturalidade e entendendo que o ato de se tocar para buscar prazer pode funcionar como um coadjuvante no tratamento da autoestima.

Quando uma mulher não sabe se tocar ou do que gosta, pode acabar levando alguns reflexos disso para a relação sexual e até para o relacionamento como um todo. Nesse caso, ela “obriga” a pessoa parceira a descobrir o que lhe dá prazer, o que é uma responsabilidade muito grande para o outro. É a mulher que deve exercer esse papel na cama, orientando o parceiro sobre o caminho que ele deve percorrer no seu corpo. Afinal, cada pessoa possui sensibilidades diferentes.

Não é vergonhoso se tocar e depois instruir o outro a tocar você da maneira certa. Isso é natural e fundamental na sexualidade humana. “Não é vergonhoso se tocar e depois instruir o outro a tocar você da maneira certa. Isso é natural e fundamental na sexualidade humana.”

Uma mulher que consegue alcançar o orgasmo é mais feliz, bem resolvida consigo mesma e com uma melhor autoestima. Afinal, sentir prazer tendo um orgasmo é sinônimo de saúde. E se isso não acontece com você, existe algo de errado, algum bloqueio, que pode ser descoberto por um especialista e depois devidamente tratado.

Mas é justamente essa questão cultural que faz com que seja possível observar uma forte diferença entre homens e mulheres no quesito masturbação. Basta uma conversa com as amigas para perceber a quantidade absurda de mulheres que têm dificuldade de alcançar o orgasmo, ou nunca o tiveram, assim como as que não têm o hábito de se masturbar, comparado aos homens que é quase zero.

Grande parte do bloqueio que impede as mulheres de se masturbarem com naturalidade e alcançarem o orgasmo está no padrão cultural da sociedade, que encara e trata a mulher como uma figura frágil. Ela, então, é vista como um símbolo intocável, inclusive por si mesma. Outra parte desse bloqueio está na falta de consciência corporal física e desconhecimento sobre o corpo.

12 DICAS PARA CONHECER MELHOR SEU CORPO

É muito comum as mulheres não sentirem prazer com a masturbação, ou não colocarem esse hábito em prática. E o mesmo se aplica ao sexo. Mas a grande causa disso ainda é a falta de conhecimento do próprio corpo. Então que tal começar a se conhecer melhor? Veja abaixo algumas dicas:

1- Procure um local calmo e crie um ambiente sensual, com recursos que estimulem todos os seus sentidos. Pode ser no banho, no quarto ou em algum qualquer lugar em que você ficar o mais relaxada possível. Fantasie assim um lugar gostoso, que lhe pareça perfeito para esse momento.

2- Inicie com uma posição simples, geralmente com as pernas ligeiramente afastadas e os pés apoiados na cama, na banheira ou no chão. Caso suas fantasias lhe estimulem em alguma outra posição, então fique assim. É interessante neste momento aproveitar para utilizar um espelho posicionado entre suas pernas, para ver sua vagina e perder o “medo” dela, aproveitando para se admirar e derrubar todos os tabus de que seu órgão sexual é uma coisa errada e feia. Ele é, na realidade, um símbolo de sua feminilidade e beleza.

3- Lubrifique as duas mãos ou o objeto que for usar para a masturbação. Assim, quando você estimular o clitóris em movimentos repetitivos, não irá gerar atrito, fazendo o estímulo ficar na intensidade e força que lhe darão mais prazer. Se optar por se masturbar com as duas mãos, utilize-as alternadamente, pois assim seu corpo irá experimentar estímulos ligeiramente diferentes, mas que podem fazer diferença para chegar ao orgasmo.

4- Toque levemente as partes erógenas de seu corpo, sinta um toque leve percorrer as regiões que mais lhe excitam. Experimente as texturas diferentes de seu corpo em suas mãos, como a pele do rosto, lábios, pernas ou língua, por exemplo. Procure ter o mínimo de pudor possível neste momento para poder descobrir o que cada parte de seu corpo lhe faz sentir. Esses estímulos poderão ser feitos várias vezes durante a masturbação, aumentando o prazer e facilitando o orgasmo.

5- Inicie o toque leve de suas mãos nos lugares mais próximos de sua vagina, mas ainda sem tocá-la. Repita esse toque algumas vezes, alisando com a ponta dos dedos ao redor da vagina e se aproximando cada vez mais dela. Quando estiver pronta, sinta com a ponta do dedo indicador a textura e as sensações de cada parte de sua vagina. Algumas mulheres gostam de dar nome para sua vagina, como uma forma de criar intimidade com ela. Se você se sentir à vontade para fazer isso, experimente.

6- Com as mãos ligeiramente lubrificadas, sinta com a ponta dos dedos o clitóris, descubra se ele é muito sensível e o quanto você deve evitar ou se aproximar dele. Faça movimentos circulares ao redor dele, primeiro com uma mão e depois com a outra. Experimente passar a mão direita no lado esquerdo do clitóris, e a mão esquerda no lado direito dele. Isso tende a gerar uma sensação mais prazerosa. Procure perceber como o seu corpo sente este toque, descubra assim como é a sua sensibilidade e tente estimulando o redor do clitóris com o toque. Com o aumentar da excitação a sensibilidade diminui, e você poderá sentir vontade de aumentar a pressão ou tocar o clitóris diretamente.

7- Com uma das mãos, utilize o dedos médio e o indicador para afastar os lábios vaginais e revelar o clitóris. Vá alisando delicadamente ao redor dele, perceba neste momento qual pressão lhe dá mais prazer e que tipo de movimento – se circular, vertical ou horizontal – mais lhe agrada. Repita esse movimento da forma que mais lhe dá prazer, buscando conhecer a velocidade e o ritmo da masturbação que mais lhe agrada. Perceba também a sensação que seu corpo tem quando você para um pouco o movimento.

8- Experimente instrumentos como vibradores. A vibração desse objeto estimula muito toda a região da vulva e do clitóris, e faz com que a mulher atinja o orgasmo com mais facilidade. Comece usando o vibrador apenas por fora da vagina, fazendo os mesmos movimentos que realizou com suas mãos. Passe também o objeto pelas partes de seu corpo que causam excitação. Depois disso, coloque o vibrador em cima do clitóris e faça movimentos rítmicos, variando a pressão do objeto.

9- Se você nunca teve uma relação sexual, não introduza o aparelho em sua vagina para não romper o hímen ou causar nenhum tipo de desconforto. Caso contrário, é muito indicado que procure introduzir o vibrador na vagina, buscando encontrar dentro dela as ramificações internas do clitóris, que quando estimuladas também geram muito prazer, incluindo o seu ponto G – que nada mais é que uma junção das terminações nervosas do clitóris na parte interior da vagina. Mas evite penetrar o instrumento muito profundamente, pois existem regiões mais sensíveis que podem causar um leve desconforto e atrapalhar o orgasmo. É importante experimentar a sensação que o objeto causa em toda a região interna da vagina.

10- Alterne todos esses estímulos. Afinal, depois de um tempo repetindo o mesmo movimento, a região pode perder um pouquinho da sensibilidade, dificultando o orgasmo. Por isso é importante mudar o estímulo, trocando a mão que estiver tocando seu órgão sexual, mudando o ritmo ou a pressão, estimulando regiões diferentes do seu corpo e de forma sempre alternada, até sentir que a excitação está muito grande. Nessa hora, procure estimular apenas a região do clitóris, que lhe proporcionará a maior excitação.

11- Quando perceber que está quase no momento do orgasmo, evite mudar o tipo de movimento que está fazendo, mas tente estimular o máximo possível lugares em seu corpo que percebeu que geram prazer. Por exemplo: enquanto esfrega a ponta dos dedos em seu clitóris, vá com a outra mão diretamente em seu ponto G, que já foi encontrado anteriormente enquanto sentia as partes do seu corpo. Isso aumenta ainda mais a excitação, impedindo que no momento final aconteça alguma interrupção do prazer e comprometa a masturbação. Faça isso até chegar ao orgasmo, e se permita sentir esse prazer até o seu final.

12- É muito importante para as mulheres que querem levar este “treino” ao ato sexual, que utilizem tanto os instrumentos quanto as próprias mãos na masturbação. Pois apesar dos instrumentos facilitarem muito para se chegar ao orgasmo, é com as suas mãos que você terá a percepção mais exata de cada parte de seu corpo. Isso ajudará a pessoa parceira a saber como lhe dar prazer, já que agora você se conhecerá melhor. Mostre a quem se relaciona todos os segredos que descobriu sobre seu corpo durante a masturbação e faça do ato sexual um momento de muito prazer para ambos.

Fonte: Personare

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

5 VANTAGENS DE UM RELACIONAMENTO ABERTO

Ele gosta da mulher, quer ficar com ela, não quer machucá-la e, ainda assim, não consegue se fechar a uma única relação.

Algumas pessoas não são adeptas aos relacionamentos tradicionais e não conseguem se manter fiel a uma única pessoa. Apaixonar-se parece ser o pior dos pesadelos. Ele gosta da mulher, quer ficar com ela, não quer machucá-la e, ainda assim, não consegue se fechar a uma única relação.

Porém, como disse antes, você está apaixonado e não quer ferir os sentimentos da mulher. Envolver-se com outras pessoas sem que a mulher saiba é traição e, eventualmente, ela poderá descobrir. O que jogaria toda a relação de vocês por água abaixo.

Neste caso, propor um relacionamento aberto pode ser uma boa opção: você resolverá o seu problema e suprirá a vontade de ficar com outras mulheres sem que isso afete a sua relação principal.

O “amor livre” tem sido cada vez mais comum. Vários casais vêm adotando essa forma de relacionamento que, algumas vezes, acaba fortalecendo a relação. Confira abaixo 5 vantagens de um relacionamento aberto e, quem sabe, você não acaba se convencendo de propor um.

Você poderá se envolver com outras mulheres sem culpa

A primeira coisa que todo mundo pensa quando o assunto “relacionamento aberto” é abordado é o fato de você ter a permissão para se envolver com outras mulheres, sem culpa nenhuma. Essa é uma das maiores vantagens deste tipo de relação.

Sejamos francos, se você está namorando e sente uma enorme vontade ficar com outra mulher, é bem provável que você concretize o ato. Mas a culpa que você carregará por ter feito isso não é pequena e, caso a mulher descubra, as chances de um término são enormes.

Em um relacionamento aberto, porém, a culpa é inexistente. Afinal, você está fazendo tudo com o consentimento da sua namorada.

Você não será traído

Um dos maiores medos de qualquer homem que está namorando é o de ser traído. Todo mundo conhece um homem “corno” e, vamos combinar, ganhar um par de chifres durante um relacionamento não faz nada bem para o currículo.

“É importante lembrar que um relacionamento aberto não é tão simples de ser mantido. Exige honestidade, maturidade, confiança e, sobretudo, controle emocional…”

Mas se você está em uma relação aberta, as chances disso acontecer são nulas, já que você consentiu com o fato da sua companheira se envolver com outras pessoas – afinal, você está fazendo o mesmo.

O relacionamento não cai na rotina

Um dos grandes motivos que levam um casal a considerar um relacionamento aberto é o fato do namoro ter esfriado ou caído na rotina, o que é bem comum de se acontecer depois de um tempo juntos.

No relacionamento aberto, isso não acontece. Vocês não passarão todo o tempo livre juntos, se envolverão com outras pessoas e passarão por novas experiências.

As brigas do casal diminuem drasticamente

Brigas de casal são coisas comum de acontecer, algumas até fortalecem a relação momentaneamente, mas, com o tempo, o desgaste que elas causam pode ser crucial para levar o relacionamento ao fim.

Em um relacionamento aberto, o casal concorda com o fato do companheiro se envolver com outras pessoas e o fator ciúme, protagonista de muitas brigas, deixa de existir. Talvez ainda exista, mas não pode ser motivo de desconfiança.

A confiança entre o casal aumenta

A confiança é um dos pontos primordiais de qualquer relação, principalmente no relacionamento aberto, já que ela é testada a todo momento.

Ao adotar o “amor livre”, o casal está reforçando os laços de confiança de uma forma surpreendente. Eles confiam no companheiro a ponto de deixá-lo se envolver com outras pessoas, sem medo que isso afete o relacionamento “principal”.

Um casal que se gosta não precisa acabar com o relacionamento que possuem pelo simples fato de não conseguirem manter a monogamia. Se esse for o seu caso, esteja disposto a cogitar a ideia de uma relação aberta. O sentimento continuará o mesmo e o namoro continuará sério, mas a “permissão” para ambos se envolverem com outras pessoas tornará o fardo do relacionamento muito mais fácil de ser carregado.

Mas é importante lembrar que um relacionamento aberto não é tão simples de ser mantido. Exige honestidade, maturidade, confiança e, sobretudo, controle emocional – afinal, você estará disposto a saber que a sua companheira está se envolvendo com outros homens e isso pode te atormentar bastante. Então, pense bem antes de propor.

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Como sentir prazer no sexo entre mulheres?

Você já passou pela situação de gostar muito de uma pessoa, mas o sexo não ser tão prazeroso?

Conhecer o próprio corpo e descobrir os pontos de prazer é o primeiro passo

Você já passou pela situação de gostar muito de uma pessoa, mas o sexo não ser tão prazeroso? Apesar de vocês se darem bem em todas as áreas, quando vão para a cama as coisas não são tão boas assim. Uma leitora está passando por essa situação e nos enviou um e-mail perguntando sobre como sentir prazer.

Lésbica, ela tem 52 anos e uma namorada. No entanto, apesar de todos os pontos positivos do relacionamento, saber como sentir prazer é uma grande questão. Ela nos conta que apesar de a namorada se esforçar e elas conversarem bastante sobre o assunto, nem sempre é prazeroso. “Muitas vezes, prefiro só dar prazer a ela”, escreve.

“Nós nos damos muito bem em todos os sentidos, inclusive na cama (quando consigo sentir algo). Eu a amo mais que tudo e sei que a cama não é o fundamental, mas é necessário”, escreve.

Para Olívia Barbosa, terapeuta e coach de sexualidade holística, o primeiro passo para reverter o cenário é entender o histórico da falta de sexo.

“É de agora ou já vinha acontecendo? Como está o relacionamento íntimo dessa mulher? Como está a saúde dela?”, questiona Olívia Barbosa. A profissional explica que existem diversos fatores fisiológicos que podem atrapalhar a conexão com o prazer.

Por exemplo, o efeito do cortisol no nosso organismo, hormônio do estresse, prejudica muito a liberação das químicas do prazer. “Alguma situação estressante no trabalho, na vida ou no relacionamento pode estar impedindo o prazer”, explica a terapeuta.

Além disso, as mudanças hormonais que a menopausa – que acontece entre os 45 e 55 anos – causa no organismo feminino podem afetar a libido e a relação da mulher com o seu próprio corpo.

“É comum a mulher ter uma queda no desejo. Isso prejudicará as próximas fases do ciclo de resposta sexual, que são a excitação, o orgasmo e a resolução”, complementa a sexóloga Priscila Junqueira.

Olívia sugere fazer uma avaliação com uma médica de confiança para avaliar se há alguma questão tangível atrapalhando o sexo e a disposição ao prazer. Outra sugestão para lidar melhor com a menopausa é conversar com outras mulheres que também estão vivendo essa fase de vida. “E até mesmo participar de círculos de mulheres em conexão profunda com o feminino sagrado”, diz.

Como sentir mais prazer durante o sexo entre mulheres?

Depois de investigar e perceber o as causas, é hora de descobrir como sentir prazer com a parceira.

Masturbação

Independe de o sexo ser entre mulheres e a leitora ter uma namorada, Olívia Barbosa comenta que o principal relacionamento que ela precisa cuidar é o dela com ela mesma.

“A siririca é essencial para reascender essa vontade. No começo pode ser desafiador se masturbar se você não está sentindo prazer logo de cara, mas é importante continuar se experimentando e buscar novas formas de se estimular”, orienta.

A terapeuta recomenda consultar o material “Oh My God Yes” , uma ferramenta online que apresenta mulheres reais falando sobre prazer e orgasmo, com técnicas para esquentar o “sexo solo”.

O interessante da masturbação é que quanto mais você conhece o próprio corpo e os pontos de prazer, mais fácil fica para guiar a parceira durante a relação. Nesse sentido, Priscila Junqueira comenta sobre a importância de conhecer as zonas erógenas e os lugares que gosta de ser tocada. “Além disso, não só o toque excita, mas também os outros sentidos: olfato, paladar, visão e audição”, diz.

Posições sexuais

Pensar sobre quais as suas posições sexuais preferidas e compartilhar com a parceira também é uma forma de vivenciar relações mais prazerosas. Como sentir prazer é algo bastante pessoal, Olívia Barbosa acredita que o casal deve apostar naquilo que for mais excitante para elas, sem se preocupar em seguir “dicas kama sútricas”.

No entanto, para te ajudar a exercer a criatividade e tentar algo diferente, Priscila Junqueira indica algumas posições sexuais para mulheres lésbicas . A sexóloga sugere o “69”, que permite que as duas sejam estimuladas ao mesmo tempo, tanto com o sexo oral quanto com a estimulação clitoriana.

“Também podem ficar sentadas face a face, já que podem se tocar com as mãos, usar vibradores e se beijarem”, sugere a sexóloga.

Brinquedos eróticos

Os sex toys podem ser outra ferramenta interessante para ajudar a mulher a sentir mais prazer no sexo entre mulheres . “Se a leitora sente afinidade com brinquedos eróticos, pode experimentar vibradores 100% silicone, que não vão trazer malefícios à saúde e poderão contribuir com um estímulo um pouco mais intenso”, fala Olívia Barbosa.

A terapeuta sexual recomenda usar o vibrador no momento próximo ao orgasmo, sem deixar de se tocar e fazer outros estímulos com a mão ou a boca. Nesse momento, o envolvimento emocional também é importante, pois cria presença e entrega, permitindo uma parceira se conectar à outra.

“Tudo flui com mais naturalidade, e você acessa bem mais os hormônios gostosinhos de excitação, que beneficiam muito seu organismo”, fala.

As dicas não funcionaram, e agora?

Você seguiu todas as dicas e ainda assim não está sentindo prazer? Não desista! O sexo com ela ainda pode ser algo bom. Priscila Junqueira recomenda buscar ginecologistas e sexólogas para pensar sobre o seu caso com cuidado e encontrar a melhor saída.

“Terapia holística ou convencional pode ajudar demais, principalmente com uma profissional que seja treinada para acolher a sexualidade feminina de forma integral e inclusiva”, complementa Olívia Barbosa.

Fonte: Delas.igAproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , | Deixe um comentário

MELHORE O SEU DESEJO SEXUAL

O desejo é a fase inicial da resposta sexual, isto acontece quando a mulher e o homem recebem estímulos sexuais prazerosos

O desejo é a fase inicial da resposta sexual, isto acontece quando a mulher e o homem recebem estímulos sexuais prazerosos, e a partir destes ocorrem impulsos vindos de centros específicos do cérebro que promovem o início da excitação – lubrificação vaginal e ereção.

Quando o casal costuma praticar sexo com poucas preliminares ocorre inadequada excitação, principalmente para a mulher que necessita de maior tempo de estímulos, e como consequência ela sente pouco prazer e maiores serão a chance de não sentir orgasmo. Isto a longo prazo ocasiona consequências negativas no desejo e na vida sexual do casal.

A verdade é que haverá diminuição do desejo sexual quando a pessoa faz sexo ruim com frequência.

A importância do desejo sexual para a sexualidade do casal

Mulheres e homens necessitam serem bem estimulados sexualmente para sentirem prazer e satisfação com a prática sexual, deste modo favorecerá o desejo.

A mulher apresenta maior dificuldade em relação ao homem quanto a sentir desejo sexual, isto ocorre devido a educação familiar e religiosa serem com frequência repressoras em relação ao sexo e o papel da mulher neste, assim como, ao inadequado estímulo sexual que as pessoas recebem do parceiro (a) e de si próprio.

Outros fatores interferem no desejo do casal, como o baixo envolvimento emocional no sexo e na relação a dois, falta de intimidade e parceria entre ambos, doenças físicas, problemas emocionais, dificuldades financeiras, comprometimento dos músculos do períneo, e outros.

O sexo é uma atividade física que exige muito dos músculos vaginais e pênis, se estiverem com boa elasticidade, circulação e força terão saúde e favorecerão o prazer. Caso contrário, mulheres e homens terão problemas de saúde local e na sua sexualidade.

Atitudes para melhorar o desejo sexual

Algumas atitudes que o casal pode realizar para melhorar o desejo sexual de um ou ambos, entre elas têm-se:

1-   Manter o respeito e parceria durante as atividades diárias, isto refletirá no desejo e intimidade entre o casal;

2-   Dialogar com frequência sobre a vida sexual de cada um e do casal;

3-   Ter criatividade nos momentos de intimidade e preliminares, com surpresas e produtos sensuais;

4-   Realizar com frequência as preliminares com estímulos prazerosos para ambos, sem pressa para a penetração;

5-   Conhecer o seu corpo e do outro, desejos e gostos durante o sexo;

6-   Mulheres e homens precisam ter os músculos do períneo saudáveis, assim elas sentirão maior prazer e facilidade para o orgasmo.

Produtos que contribuem para o desejo sexual

Todos os produtos sensuais contribuem para o desejo de mulheres e homens se forem usados adequadamente, estimulam a criatividade, a intimidade entre o casal e a satisfação durante as preliminares. Segue alguns:

1-   Lubrificantes íntimos – devem ser usados na entrada vaginal ou anal no momento da penetração, evitam desconforto;

2-   Geis excitatórios – passar por todo o clitóris, vagina, ânus e pênis com leve massagem para promover sensações agradáveis e excitação;

3-   Óleos de massagem – óleos afrodisíacos para massagear a região do períneo, clitóris, ponto G, pênis, escroto e região anal;

4-   Geis que esquentam – usar sobre o clitóris, pênis e ânus para o sexo oral;

5-   Produtos para a saúde sexual – melhoram os músculos e as estruturas locais do períneo (clitóris, vagina, pênis e ânus). Proporcionam autoconhecimento, intimidade entre o casal, assim como favorecem a excitação, lubrificação, desejo e orgasmo, com melhora na saúde muscular e sexual para mulheres e homens.

O casal precisa mudar suas práticas e hábitos sexuais constantemente, mudar de posições, ambientes e estímulos com produtos sensuais.

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

VIOLÊNCIA CONTRA MULHER NÃO É SÓ FÍSICA; CONHEÇA OUTROS 10

A Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) é a principal legislação brasileira para a enfrentar a violência contra a mulher

A Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006) é a principal legislação brasileira para a enfrentar a violência contra a mulher. A norma é reconhecida pela ONU como uma das três melhores legislações do mundo no enfrentamento à violência de gênero.
Além da Lei Maria da Penha, a Lei do Feminicídio, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em 2015, colocou a morte de mulheres no rol de crimes hediondos e diminuiu a tolerância nesses caso.
Mas o que poucos sabem é que a violência doméstica vai muito além da agressão física ou do estupro.  A Lei Maria da Penha classifica os tipos de abuso contra a mulher nas seguintes categorias: violência patrimonial, violência sexual, violência física, violência moral e violência psicológica.
Conheça algumas formas de agressões que são consideradas violência doméstica no Brasil:
1: Humilhar, xingar e diminuir a autoestima
Agressões como humilhação, desvalorização moral ou deboche público em relação a mulher constam como tipos de violência emocional.
2: Tirar a liberdade de crença
Um homem não pode restringir a ação, a decisão ou a crença de uma mulher. Isso também é considerado como uma forma de violência psicológica.
3: Fazer a mulher achar que está ficando louca
Há inclusive um nome para isso: o gaslighting. Uma forma de abuso mental que consiste em distorcer os fatos e omitir situações para deixar a vítima em dúvida sobre a sua memória e sanidade.
4: Controlar e oprimir a mulher
Aqui o que conta é o comportamento obsessivo do homem sobre a mulher, como querer controlar o que ela faz, não deixá-la sair, isolar sua família e amigos ou procurar mensagens no celular ou e-mail.
5: Expor a vida íntima
Falar sobre a vida do casal para outros é considerado uma forma de violência moral, como por exemplo vazar fotos íntimas nas redes sociais como forma de vingança.
6: Atirar objetos, sacudir e apertar os braços
Nem toda violência física é o espancamento. São considerados também como abuso físico a tentativa de arremessar objetos, com a intenção de machucar, sacudir e segurar com força uma mulher.
7: Forçar atos sexuais desconfortáveis
Não é só forçar o sexo que consta como violência sexual. Obrigar a mulher a fazer atos sexuais que causam desconforto ou repulsa, como a realização de fetiches, também é violência.
8: Impedir a mulher de prevenir a gravidez ou obrigá-la a abortar
O ato de impedir uma mulher de usar métodos contraceptivos, como a pílula do dia seguinte ou o anticoncepcional, é considerado uma prática da violência sexual. Da mesma forma, obrigar uma mulher a abortar também é outra forma de abuso.
9: Controlar o dinheiro ou reter documentos
Se o homem tenta controlar, guardar ou tirar o dinheiro de uma mulher contra a sua vontade, assim como guardar documentos pessoais da mulher, isso é considerado uma forma de violência patrimonial.
10: Quebrar objetos da mulher
Outra forma de violência ao patrimônio da mulher é causar danos de propósito a objetos dela, ou objetos que ela goste.

Fonte: Brasil.gov.br

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Marcado com , | Deixe um comentário

4 dicas simples para melhorar sua vida sexual

Segundo especialistas, o sexo não está apenas relacionado ao prazer, ele também pode trazer bem-estar e melhorar a saúde. Estudos mostram que uma boa relação sexual melhora o humor, reduz os níveis de stress, aumenta a imunidade e ajuda na queima de calorias. A qualidade prevalece sobre a frequência, na hora de medir a satisfação sexual. Confira abaixo quatro dicas para melhorar a qualidade do sexo, elencadas pelo site especializado Medical

1. Comunicação

A comunicação é imprescindível para ter uma boa relação sexual. É na conversa aberta, sem vergonhas e medos, que o casal vai discutir as necessidades e entender os desejos do outro. Como você pode proporcionar prazer se não sabe do que o seu parceiro(a) gosta? Pergunte as preferências de seu parceiro e fale sobre as suas.

2. Fora da cama

É importante cuidar dos aspectos não sexuais do relacionamento para aumentar a satisfação conjugal. Tire um tempo para conversar sobre questões individuais (que não envolvam o sexo) para fortalecer a conexão entre vocês.

3. Prepare o clima

O sexo muitas vezes é a consequência de um momento romântico. Então, reserve um tempo para vocês saírem juntos, jantarem, irem ao cinema, ao parque, ao museu – sem a presença de outras pessoas. Até mesmo em casa é possível ter um ambiente romântico, cozinhando juntos, por exemplo.

4. Cuide da ambientação

Quando o sexo cai na rotina, fica mais difícil se sentir disposto a fazê-lo. Portanto, tente mudar o cenário, vá para a sala, cozinha, banheiro, piscina. Se sua preferência for realmente o quarto, trabalhe a iluminação, uma meia luz, talvez velas e uma música sensual, por exemplo, podem tirar o casal da mesmice e fazer milagres pela vida sexual.

Quais desses hábitos você vai adotar?

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário