“Livros eróticos ajudam a mulher a se emancipar”, diz autora do gênero

Ainda na adolescência, Lani Queiroz começou a escrever contos eróticos. Cinco anos após publicar seu primeiro livro do gênero, ela já é considerada uma autora best seller do segmento na Amazon. Muito além de despertar desejos e fantasias, Lani acredita que as obras de conteúdo sexual são uma forma de libertação do prazer feminino.

A autora afirma que a literatura erótica ajuda mulheres a redescobrir desejos e se libertar. “Para o público feminino, funciona como forma de emancipação. A mulher sempre foi marginalizada, mas através dos livros eróticos elas podem viajar por vários universos e se encontrar com elas mesmas”, opina.

Ela compartilha que muitas leitoras entram em contato para comentar sobre seu trabalho e que o orgasmo feminino ainda é um grande tabu. “Várias mulheres passam a vida toda e não conseguem experimentar um, mas tenho leitoras que conseguiram se libertar e até criar uma nova relação com o marido”.

Lani ainda revela que a preferência geral é pelo sexo mais bruto e selvagem. “Mas também há várias leitoras românticas. O elemento essencial para todos é o romance, a trama. É importante a questão erótica, mas o que prende mesmo é como isso é construído. As cenas eróticas são um quê a mais”, avalia.

E a literatura erótica não é voltada apenas para o público feminino. A autora conta que homens e casais também leem junto, como forma de brincadeira sexual entre a dupla. “O que leva as pessoas a lerem é a curiosidade. Temas polêmicos e considerados tabu atraem mais, embora haja críticas”, analisa.

Ela aponta o sucesso da trilogia de 50 tons de Cinza como prova disso. “Foram livros muito criticados, mas aclamados pelos leitores. Ajudaram muito o mercado de literatura erótica, que antes era elitista e segregador. O mercado tem aberto espaço aos autores nacionais”, percebe.

Para Lani, ainda existe preconceito com o gênero, mas é cada vez mais fácil discutir termas relacionados à sexualidade. “A internet colaborou muito para isso. O Youtube, por exemplo, tem vários canais falando sobre o assunto, dando dicas e orientando o público”, exemplifica.

A autora afirma que existe um movimento, não só da literatura, mas da sociedade em busca da libertação da sexualidade. “A mulher começou a se emancipar, saindo da sombra do homem e buscando o próprio prazer, sem vergonha ou culpa. Esses pesos foram colocados na cabeça dela”, conclui.

Cinco autoras eróticas para descobrir e se deliciar

#1 E. L. James – Autora da trilogia 50 tons de cinza

#2 Jas Silva – Autora de Aconteceu Você

#3 Nana Pauvolih – Autora de Redenção pelo amor

#4 Beth Kery – Autora de Porque você é minha

#5 Sylvia Day – Autora da série Crossfire

Fonte: Metrópoles

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Afinal, como faço para encontrar meu ponto G?

Não sabe como encontrar? Profissionais ensinam como localizar o ponto G para garantir orgasmos ainda melhores

O ponto G é um dos assuntos mais debatidos quando se trata da saúde sexual das mulheres. Desculpe o trocadilho, mas vamos direto ao ponto: sim, definitivamente essa área existe e é absolutamente acessível.

“O ponto G é a esponja uretral posicionada contra a parede vaginal”, explica Carolanne Marcantonio, terapeuta sexual sênior e co-fundadora da Wise Therapy (EUA). “Semelhante a um pênis ereto, a esponja fica maior quando excitada, para que você possa encontrá-la melhor.”

Dito isto, algumas pessoas podem pensar que o ponto G não existe simplesmente porque nem toda mulher tem um.

Mas se você sem querer passou por seu ponto G algumas vezes e ficou tipo “NOSSA” – ouça. Não é apenas o seu ponto G que parece incrível. “Quando o ponto G é estimulado, ele empurra o clitóris e os ligamentos clitoriais, o que causa prazer.  “Tudo está conectado”.

Agora que você sabe que existe, como encontrar o ponto G?

Primeira coisa: você precisa saber onde procurar. O ponto G está entre o osso púbico e a parte da frente do colo do útero, a cerca de duas polegadas da abertura vaginal, na parede frontal da sua vagina (a que fica mais perto do estômago e não das costas). E apesar de ser considerado um mistério da sexualidade humana, uma vez que você o encontra, pode desbloquear o duplo orgasmo vaginal e clitoriano (sim!).

Mas antes de colocar os dedos, procure estar excitada. Isso porque assim mais sangue corre para sua região pélvica e o local fica mais elevado e mais fácil de ser encontrado. Então acenda algumas velas, fantasie, veja alguma pornografia feminista ou o que preferir.

Uma vez que você está no ponto, Marcantonio recomenda “inserir seu (s) dedo (s) de dois a três centímetros para cima, curvando-o (s). Em seguida, balance-os em direção ao umbigo.”

Seu ponto G pode parecer mais áspero do que outras partes de sua vagina, ou uma área estriada, mas nem sempre é o caso. “Não há uma textura específica que você precise procurar”, diz Marcantonio. “A melhor maneira de achar é experimentar.”

Encontrei! E o que devo fazer agora?

“Use uma pressão firme e profunda para acariciar a área. Tente um movimento circular ou mais de uma técnica para cima e para baixo.

Tenha em mente que o ponto G não está na parede frontal da vagina. Em vez disso, é algo que você pode sentir pelo centro da parede frontal ou um pouco à esquerda ou à direita do centro. Já que não está lá, você pode precisar de mais pressão do que pensa para acertá-lo.

Se você está lutando para encontrar o ponto G com os dedos, ou apenas quer mais pressão do que seus dedos podem produzir, ou tentar um brinquedo sexual curvo.

Dica: lubrifique antes de inseri-lo lentamente e faça um movimento de balanço em direção ao seu umbigo.

Se estiver se sentindo bem até agora, aumente o ritmo e crie muitas fricções ao aumentar suas chances de orgasmo. “Estimular a área criará sensações se for um ponto quente para você.

Ainda melhor, ela diz que as mulheres relataram que os orgasmos do ponto G são mais cheios, mais intensos, mais emocionais e mais encorpados do que a variedade clitoriana. É claro que, se você não o alcança, mas se sente bem de qualquer maneira, isso também é incrível. Conhecer melhor o seu corpo é sempre uma coisa boa.

“A sensibilidade do ponto G também varia com base no ciclo menstrual”, diz Marcantonio. De fato, “todos os pontos de prazer podem mudar à medida que o corpo progride através de seu ciclo”. Então não surte se a sensação mudar ao longo do mês – isso é apenas o seu corpo trabalhando normalmente.

Estimular o ponto G pode me ajudar a ejacular?

Se você estiver interessada em ter uma ejaculação feminina, tocar seu ponto G pode ser o caminho certo. “Embora nem todo mundo consiga, e a ejaculação não seja igual a orgasmo, a estimulação do ponto G é frequentemente relacionada ao potencial de ter um squirt – como é chamada a ejaculação.

Se bastante líquido se acumula e é seguido por pressão intensa (tanto no ponto G como no clitóris), a ejaculação pode ocorrer. Isso nem sempre acontecerá – isso depende de quão hidratada você é –, mas se estiver excitada, definitivamente vale a pena tentar. Apenas, lembre-se de colocar uma toalha antes de tentar.

Mais importante ainda, lembre-se de que todo corpo é diferente. Por isso, se a sua primeira tentativa de estimulação do ponto G não for um sucesso total, continue experimentando. Afinal, a prática leva a perfeição, certo?

Fonte: Amor e sexo

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Direto ao ponto: sexo no primeiro encontro fortalece os laços do casal.

O sexo pode preparar o terreno e aprofundar a conexão emocional entre estranhos. Isso vale para homens e mulheres.

Por muito tempo, as pessoas acreditaram que transar no primeiro encontro significava optar por uma relação apenas casual, sem a possibilidade de se transformar em um relacionamento sério. Contudo, um novo estudo aponta para a direção oposta.

Pesquisadores acreditam que o sexo tem a capacidade de criar vínculos emocionais entre estranhos, o que poderia ajudar a desenvolver uma relação mais profunda. O levantamento foi realizado por um time de psicólogos do Centro Interdisciplinar de Herzliya, em Israel, em parceria com o departamento de ciências clínicas e sociais em psicologia da Universidade de Rochester, em Nova York. O grupo concluiu que o desejo sexual desempenha um papel importante, não apenas atraindo parceiros em potencial mas também em incentivando o apego entre eles.

“O sexo pode preparar o terreno e aprofundar a conexão emocional entre estranhos. Isso vale para homens e mulheres. O sexo motiva os seres humanos a se conectarem, independentemente do gênero”, explica a principal autora do estudo, a psicóloga social Gurit Birnbaum, em entrevista ao site Rochester.

De acordo com Gurit, tanto homens quanto mulheres são propensos a iniciar relacionamentos quando estimulados sexualmente. O texto foi publicado no periódico Journal of Social and Personal Relationships.

Durante os testes, os pesquisadores observaram que o desejo sexual desperta comportamentos que podem desenvolver uma conexão emocional. “Apesar de vontades sexuais e vínculos afetivos serem sentimentos diferentes, processos evolutivos e sociais provavelmente tornaram os humanos particularmente propensos a se tornarem romanticamente ligados a parceiros aos quais são sexualmente atraídos”, aponta o coautor Harry Reis, professor de psicologia em Rochester.

O que explicaria o papel do sexo em nutrir relacionamento é o comportamento das pessoas ter evoluído para garantir a reprodução.

Para procriar, não é necessário vínculo emocional, porém mecanismos foram sendo desenvolvidos para que os parceiros não deixassem as crianças desamparadas, de forma que pudessem cuidar dos filhos em conjunto, segundo Gurit.

A dupla concluiu que o tesão facilita comportamentos que cultivam a proximidade pessoal e a união. “O desejo sexual pode desempenhar um papel causal importante no desenvolvimento de relacionamentos. É o magnetismo que mantém parceiros juntos o tempo suficiente para que uma ligação de apego se forme”, finaliza a psicóloga.

Fonte: Metrópoles

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Brinquedos perfeitos para um sexo inesquecível!

Quem não quer inovar? A tecnologia está aí pra facilitar a nossa vida e também o nosso orgasmo, então, por que não investir em Sex Toys, ou seja, brinquedos capazes de potencializar o prazer e também te fazer descobrir novas sensações na cama?

Selecionamos alguns sex toys perfeitos para um sexo inesquecível que você vai querer guardar na gaveta e utilizar com as garotas e, se você já estiver namorando, vai curtir surpreender a sua parceira com eles de vez em quando – ou sempre.

Veja só essa seleção de Sex Toys!

 Comprar Anel peniano

Olha só que coisa louca: você coloca esse anel de silicone extensível na base do pênis e ele vai te ajudar a segurar a ereção e a ejaculação, além disso, essa parte com o bullet deve ficar voltada para cima para estimular, com o pequeno vibrador, o clitóris da parceira.

O produto ainda é a prova d’água e você pode brincar dentro da banheira ou no chuveiro.

 Comprar Plug anal

Esse acessório é incrível para estimular sua parceira de outras formas. Se ela quer fazer sexo anal mas ainda não está preparada, você pode utilizar esse acessório para preparar a musculatura da região e deixá-la mais excitada e, mesmo se ela já estiver mais acostumada, o plug é um brinquedo excelente para intensificar o orgasmo dela enquanto você a penetra pela frente – especialmente se você optar por um produto com vibrador.

Comprar Tenga Egg

Ovo Tenga, ótimo masturbação Masculina

Os orientais costumam ter umas ideias bem malucas envolvendo tecnologia e sexo. O Tenga Egg, criado por eles, é um produto que garante um orgasmo intenso para homens. Ele funciona assim: depois de descascado, o ovo recebe lubrificante no seu interior e é encaixado no pênis, tipo uma touca mesmo.

Como ele é elástico, o ovo pode ser esticado até a base do pênis, e, a partir daí a masturbação é feita com as mãos sobre ele.

Além da possibilidade da garota de masturbar com esse brinquedo, você ainda pode penetrá-la com ele. Pois é! A textura externa e interna garante prazer dos dois lados, olha só que loucura!

Comprar capa peniana

Existem capas penianas das mais variadas formas e estilos, mas todas tem o mesmo objetivo: aumentar a sensação de prazer. Elas funcionam como uma camisinha – mas não possuem a mesma segurança para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, ok? Só funcionam como uma camisinha pelo jeito de colocá-la no pênis – e possuem bolinhas e pontinhos de estímulo em toda a sua extensão.

Elas também aumentam o tamanho e grossura do pênis e podem estimular diretamente o ponto G! O melhor material é o cyberskin, que mais se parece com a textura da pele humana.

Comprar um vibrador

Vibrador ótimo para estimular o Ponto G

Quando se fala em acessórios eróticos, não podemos deixar de lado os vibradores. Embora ainda seja um grande tabu, a masturbação feminina é um processo intenso de autoconhecimento e promoção de saúde, já que auxilia a mulher a compreender mais sobre seus desejos e prazeres, intensificando sua satisfação.

Dessa forma, lançar mão de vibradores pode ser a melhor alternativa para apimentar o seu final de semana com o seu parceiro e garantir uma experiência inovadora.

Atualmente, existem diversos modelos que você pode ter, inclusive para casais. Eles possibilitam uma escolha consciente e permitem um autoconhecimento profundo sobre o que traz prazer para você e seu companheiro.

Comprar kit Sado

O filme é bem ruim, o livro é uma porcaria mas, infelizmente, temos que agradecer o Christian Grey pela popularização do sadomasoquismo entre as mulheres desta geração.

Esse kit contém os itens básicos para uma brincadeira mais leve, perfeita para iniciantes: tem chicote, algema, venda para os olhos, bolinhas tailandesas e gel corporal.

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

7 Mentiras sobre bissexuais que precisam ser abolidas urgentemente

Infelizmente, as conclusões precipitadas sobre a orientação sexual das pessoas continuam acontecendo. E quando o assunto é bissexualidade, os comentários são mais do que simplesmente pitacos. Em sua maioria, eles são preconceituosos e refletem a biofobia – a discriminação contra o grupo.

O grupo foi fundado em 2010 e procura “articular e criar redes de bissexuais local, nacional e internacionalmente”, como diz a descrição da comunidade no Facebook. Por isso, conseguirmos colher depoimentos e separar oito mentiras que cooperam para que esse grupo seja ainda mais desrespeitado.

1. “Bissexual é infiel”

Infelizmente, muitas pessoas associam bissexualidade com infidelidade. Isso acontece com a justificativa de que bissexuais não se sentem completos ao estarem com quem quer que seja a pessoa, pois se atraem pelos dois gêneros. Essa frase ofensiva também acontece porque pessoas que se relacionam com homens e mulheres são vistas como promíscuas.

Porém, esse posicionamento é apenas um reflexo do preconceito ao grupo e um comportamento social comum de binariedade, isto é, que só se pode ser uma coisa ou outra, mas não as duas ao mesmo tempo, como explica o psicólogo Hamilton Kida, fundador do Projeto Rainbow

2. “Você está enganando o seu parceiro”

Ao ser hetero, você anuncia qual a sua orientação sexual, como se fosse uma grande informação reveladora? Provavelmente não. Por que o contrário deveria acontecer com pessoas bissexuais? Esse questionamento não é para, de forma alguma, incentivar alguém a esconder sua orientação sexual, mas lembrar que não é obrigatório anuncia-la.

A única pessoa com quem você precisa estar esclarecida sobre sua orientação sexual é você mesma – e sempre com o cuidado de respeitar o seu tempo de auto- reconhecimento.

3. “Bissexual não sofre preconceito, porque pode escolher”

Dizer algo desse tipo para uma pessoa bissexual é não ter consciência de que essa frase, por si só, reforça o preconceito contra quem gosta de homens e mulheres simultaneamente. Isso porque ela fortalece a ideia de que a bissexualidade é um grande parque de diversão com inúmeras disponibilidades diante dos olhos – esquecendo completamente da fetichização, que principalmente as mulheres bissexuais sofrem.

Além de idealizar uma ideia de que essa orientação sexual facilita as relações afetivas, esquece-se que muitas vezes o processo é inverso. Exemplo: bissexuais são alvos constantes de desconfiança – como a da mulher que pensa na possibilidade de ser trocada por um homem e vice-versa. Também existe o problema da fetichização, pois há quem acredite que um parceiro bi tem que ser adepto de qualquer prática sexual, principalmente, a que envolve sexo a três.

4. “Isso é só uma fase!”

De fato, muitas pessoas passam algum tempo se reconhecendo como bissexuais antes de descobrirem que são lésbicas ou gays, mas isso não é uma regra. Na verdade, limitar essa orientação sexual como transitoriedade é uma face da bifobia. Mais uma vez, não é necessário gostar só de A OU B, existe o “E”.

5. “Tudo bem gostar de um ou outro, mas dos dois não dá”

Na verdade, dá sim. Dá e muito! Estabelecer que alguém só pode se atrair por um dos gêneros é esquecer que o ser humano não se limita quando o assunto é gostar. Portanto, por que isso deveria acontecer com a sexualidade de alguém?

Porém, é importante ressaltar que não está tudo bem em dizer que a bissexualidade é apenas um reflexo da complexidade humana ou que bissexuais são verdadeiras representações da geração que não precisa de rótulos. Essa orientação sexual possui um conceito, sempre existiu e não é sobre a confusão humana, mas sobre como a binariedade das coisas não é uma regra.

6. “Bissexualidade não existe, você é lésbica!”

Negar a existência de uma orientação sexual que conversa com ambos os gêneros é a bifobia em um das formas mais puras. Principalmente porque é dizer para a pessoa que se reconhece de tal forma é estar mentindo para si mesma e dar a entender que a pessoa não se conhece verdadeiramente.

O mesmo acontece quando alguém tenta determinar a orientação sexual de um bi a partir do gênero da pessoa com quem ela ou ele está se relacionando no momento. Ou seja: se uma garota bissexual está namorando uma mulher, ela é vista pelos bifóbicos como lésbica, se está namorando um homem, é tida como hétero.

Muitas vezes, essa afirmação vem acompanhada da ideia de que a mulher não é bissexual, mas lésbica por só ter tido relações sexuais apenas com figuras femininas, ainda que tenha ocorrido o envolvimento emocional com homens. Ao dizer isso para alguém, questione-se sobre o que constitui o vínculo entre as pessoas e se o único critério para definir de quem ela gosta são as pessoas com quem ela transa.

7. “Ser bi é ser vetor de doenças”

Essa frase costuma ser dita por muitas lésbicas em relação a mulheres bissexuais, pois há ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), como o HIV, que são mais facilmente transmitidas através do sexo entre uma mulher e um homem ou entre dois homens.

Mais uma vez, esse pensamento relaciona-se com a ideia de que bissexuais são promíscuos e, portanto, descuidados quando o assunto é sexo. Só que com essa afirmação, é importante se questionar: por que a orientação sexual é o fator decisivo sobre alguém ser cuidadoso ou não? Definitivamente não é.

Fonte: 180graus

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

Kama Sutra do beijo: descubra nove técnicas de tirar o fôlego

 

beijo1

“O beijo ativa todos os nossos sentidos (como o olfato, o paladar e o tato) para que forneçam pistas sobre a compatibilidade e o potencial de um parceiro a longo prazo.

Um dos primeiros contatos íntimos entre enamorados, o beijo pode ser capaz de excitar de tal forma que os genitais ficam úmidos e latejantes com desejo. Ao menos é o que diz Alicia Galloti, autora do livro Kama Sutra e outras técnicas orientais.

O latim tem três palavras para definir o beijo: suavium, que é usada para falar daquele beijo mais carinhoso e suave; osculum, que se refere ao beijo no rosto; e basium, claramente a que deu origem à palavra que usamos, que está ligada ao beijo na boca, de língua.

As referências têm como base os estudos do sexólogo francês François Hérausse, influenciado pelo criador do livro erótico mais famoso do mundo, o indiano Vātsyāyana.

Aproveite para curtir o momento e se envolver por meio das sensações e trocas entre os lábios e a língua.

Beijo inaugural: é um dos beijos clássicos das jovens mulheres. Ocorre quando ela coloca a boca sob a do amante suavemente, sem encostar o resto do corpo.

Beijo “caixa”: quando uma das partes agarra com os dentes e chupa os lábios do outro.

Beijo de petição: quando o homem beija a mulher em um dos dedos da mão ou do pé.

Beijo que aviva o amor: quando a mulher beija o amante adormecido para demonstrar desejo na prática sexual, despertando-o.

Beijo que desperta: é o contrário do ato anterior. Aqui, é o homem que pratica o beijo que aviva o tesão da parceira.

Beijo minucioso: é quando a pessoa roça os lábios da outra com a ponta da língua, de olhos fechados.

Beijo envolvido: quando um dos dois rodeia com o círculo formado pelos seus lábios os lábios do outro.

Beijo que distrai: tentativa de chamar a atenção da pessoa quando ela está interessado a em outras coisas.

Coito com a boca: vulgo sexo oral.

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

7 formas diferentes de usar o lubrificante

lub

Comum por diminuir o atrito e facilitar a penetração, o lubrificante é um produto que pode ser usado de diferentes formas

Antes do sexo, durante a masturbação e até dentro do preservativo. Confira as 7 formas de levar o produto erótico para a cama, seja sozinha ou a dois

Você tem o hábito de usar lubrificante durante a relação sexual? O lubrificante é um dos produtos eróticos mais comuns do mercado. Com diferentes fórmulas, ele ajuda na hora da penetração, diminui o atrito e aumenta a sensibilidade. Além disso, alguns podem proporcionar a sensação de quente e outros de gelado, levando novas sensações para a relação.

Para te inspirar a levar o produto para cama, listamos 7 formas diferentes para você usar o lubrificante, seja sozinha ou acompanhada. Confira:

Como usar o lubrificante?

  1. Antes do sexo começar

O produto erótico é conhecido por ser algo que se usa quando o sexo já está rolando para ajudar na hora da penetração, principalmente quando o casal está com dificuldade em manter a lubrificação de forma natural e precisa de uma ajudinha extra na hora h. No entanto, não é bem assim

O produto pode e deve ser usado antes mesmo do sexo começar, nas chamadas preliminares. Você pode pedir que o parceiro coloque certa quantidade de produto na mão e estimule a região da vulva, principalmente os lábios e o clitóris. Isso com certeza fará você vivenciar novas sensações durante o sexo!

  1. Enquanto você se masturba

O “sexo solo” pode ser muito melhor quando você tem a ajuda do líquido, principalmente quando a sua lubrificação natural não é tão boa e quando você tem as mãos muito secas – o que pode até te machucar por conta do atrito.

Aplique algumas gotinhas de “lub” à base de água na ponta dos seus dedos antes de se tocar e aproveite a sensação suave que o produto proporciona.

  1. Enquanto você se masturba com um vibrador

A masturbação com um vibrador é completamente daquela onde você usa apenas as suas mãos. As sensações são mais fortes e o poder o orgasmo é intensificado. Agora imagine vivenciar tudo isso de uma maneira mais fluída e com o atrito mais suave. Pois é, a brincadeira pode ser totalmente diferente quando você usa o produto. Mas lembre-se: ele deve ser à base de água, principalmente se o vibrador foi feito de silicone, uma vez que outras bases podem danificar o brinquedo sexual.

  1. Dentro do preservativo

Nenhum homem deve reclamar sobre o uso do preservativo, afinal, a camisinha dá segurança não apenas em relação à gravidez, mas também previne de ISTs (infecção sexualmente transmissível). No entanto, usar o preservativo pode ser algo mais prazeroso com algumas gotinhas de “lub”.

De acordo com o sexólogo Eric Garrison, colocar uma ou duas gotas do produto antes de desenrolar a camisinha pode aumentar a sensibilidade do homem durante a penetração.

  1. Durante o sexo anal

Quando o assunto é sexo anal, o uso do produto nunca é demais. Isso porque, diferente da vagina, a região do ânus não produz uma lubrificação natural e o atrito pode causar muita dor durante o sexo. Por isso, não tenha medo de usar e abusar do “lub” na hora de fazer sexo anal.

  1. Quando você faz sexo oral nele

A princípio a ideia pode parecer estranha, mas usar o produto durante o sexo oral pode ajudar muito o seu maxilar. Segundo a terapeuta sexual “Gina Ogden”, as mulheres costumam usar cuspe, mas isso pode não ser o suficiente ou o mais adequado para a situação. “Lubrificantes de sabor proporcionam a umidade suficiente para que o maxilar não fique tão cansado”, orienta.

  1. Durante uma massagem

Antes de o sexo começar é interessante fazer algumas brincadeiras e preliminares para aumentar ainda mais o desejo. Nesse momento, o lubrificante pode ser um produto aliado. Você pode sugerir ao parceiro, por exemplo, para fazer uma massagem sexy por todo o seu corpo.

Fonte: Delas ig

Aproveite bem as nossas dicas! Não esqueçam de entrar em nossa loja virtual http://www.sabordoamor.com.br/

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário